7 de Fevereiro de 2013

?ndice Nacional da Construção Civil recua em janeiro, aponta IBGE

O ?ndice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)em parceria com a Caixa, apresentou variação de 0,18% em janeiro, recuando 0,25 ponto percentual em relação a dezembro (0,43%). Com esse resultado, o acumulado nos 12 meses encerrados em janeiro de 2013 ficou em 5,25%, abaixo da taxa de 5,68%, registrada nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2012, o índice foi de 0,59%.

O ?ndice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)em parceria com a Caixa, apresentou variação de 0,18% em janeiro, recuando 0,25 ponto percentual em relação a dezembro (0,43%). Com esse resultado, o acumulado nos 12 meses encerrados em janeiro de 2013 ficou em 5,25%, abaixo da taxa de 5,68%, registrada nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2012, o índice foi de 0,59%.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que no mês de dezembro havia fechado em R$ 855,64, em janeiro passou para R$ 857,21, sendo R$ 455,09 relativos aos materiais e R$ 402,12 à mão de obra.

Em janeiro de 2013, materiais e mão de obra apresentaram desaceleração em relação a dezembro de 2012. Os materiais, com variação de 0,29%, recuaram 0,07 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,36%), enquanto a mão de obra apresentou diferença mais significativa, ao recuar de uma variação de 0,51% em dezembro para 0,07% em janeiro, ou seja, 0,44 ponto percentual para menos. Os acumulados em 12 meses foram 9,08% da mão de obra e 2,09% dos materiais.

Pressionada pelo reajuste salarial do Amapá, a região Norte, com alta de 0,49%, ficou com a maior taxa regional em janeiro. Os demais resultados foram: 0,12% no Nordeste; 0,18% no Sudeste; 0,16% no Sul e 0,15% no Centro-Oeste.

Os custos regionais por metro quadrado ficaram em: R$ 877,32 no Norte; R$ 806,62 no Nordeste; R$ 888,14 no Sudeste; R$ 869,01 no Sul e R$ 866,64 no Centro-Oeste.

No acumulado em 12 meses, a maior variação ficou com a região Sul (8,08%), seguida pelas regiões Centro-Oeste (6,36%), Norte (6,13%), Nordeste (4,87%) e Sudeste (4,19%).

(Redação ??? Agência IN)

Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br

Mais Notícias