24 de Janeiro de 2014

Confiança do Consumidor recua em janeiro, revela FGV

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas recuou 2,1% entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, ao passar de 111,2 para 108,9 pontos1. Com o resultado, o índice manteve-se abaixo da média histórica de 115,9 pontos pelo décimo primeiro mês consecutivo e alcançou nível mais baixo desde junho de 2009 (108,7 pontos).

 

 

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas recuou 2,1% entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, ao passar de 111,2 para 108,9 pontos1. Com o resultado, o índice manteve-se abaixo da média histórica de 115,9 pontos pelo décimo primeiro mês consecutivo e alcançou nível mais baixo desde junho de 2009 (108,7 pontos).

A maior contribuição para a queda do ICC em janeiro advém do Índice de Expectativas (IE) que recuou 2,6% para 105,6 pontos, o menor desde setembro de 2011 (104,1). Já o Índice da Situação Atual (ISA) caiu 2,1%, ao passar de 118,1 pontos para 115,6 pontos, ficando abaixo da média dos últimos cinco anos (129,1) pelo décimo segundo mês consecutivo.

Depois de ficar estável nos dois últimos meses, a avaliação dos consumidores com relação a situação geral da economia voltou a piorar nesse início do ano: a proporção de consumidores que avaliam a situação como boa diminuiu de 15,6% para 14,2%, enquanto a dos que a julgam ruim subiu de 33,8% para 35,7%. Nos últimos doze meses, o indicador que mede a satisfação com a situação economica local ficou abaixo da média histórica de 95,5 pontos.

Os consumidores também estão menos otimistas em relação à possibilidade de recuperação da economia. O indicador que mede o grau de otimismo em relação à situação econômica futura recuou 3,0% em janeiro. A parcela de consumidores que projetam melhora diminuiu de 26,6% para 26,5%; a dos que preveem piora aumentou de 20,0% para 23,1%. O indicador de 103,4 pontos se mantém abaixo da média histórica (112,0) pelo décimo terceiro mês e é o menor desde outubro de 2011 (99,6).

(Redação – Agência IN)

Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/

Mais Notícias