26 de Fevereiro de 2014

Lucro líquido da Petrobras em 2013 foi de R$ 23,570 bilhões

Petrobras informa que o lucro líquido em 2013 foi 11% superior ao de 2012 em função dos reajustes nos preços do diesel (20%) e da gasolina (11%), do aumento da produção de derivados, da otimização de custos, dos ganhos com venda de ativos, das menores baixas de poços secos e do menor impacto cambial devido à contabilidade de hedge.

 

 

Petrobras informa que o lucro líquido em 2013 foi 11% superior ao de 2012 em função dos reajustes nos preços do diesel (20%) e da gasolina (11%), do aumento da produção de derivados, da otimização de custos, dos ganhos com venda de ativos, das menores baixas de poços secos e do menor impacto cambial devido à contabilidade de hedge. O EBITDA ajustado atingiu R$ 62 bilhões 967 milhões, 18% maior que o de 2012.

No 4º trimestre, o lucro líquido foi de R$ 6 bilhões 281 milhões, 85% superior ao do 3º trimestre. O resultado reflete os maiores volumes de exportação de petróleo, as menores baixas de poços secos, os ganhos na venda do ativo BC-10 e o benefício fiscal decorrente do provisionamento de juros sobre o capital próprio.

A produção de petróleo e gás natural totalizou 2 milhões 539 mil barris de óleo equivalente por dia em 2013, 2% inferior à de 2012, principalmente em consequência de postergações no início da produção dos novos sistemas, do declínio natural dos campos e da venda de ativos no exterior. No trimestre, a produção doméstica foi 1% superior à do 3º trimestre.

Em 2013, cinco novas plataformas entraram em operação e outros quatro sistemas foram encaminhados para a locação definitiva. O Pré-sal atingiu recorde diário de produção de 371 mil bpd em 24 de dezembro.

As reservas provadas no Brasil alcançaram 16 bilhões de barris de óleo equivalente, crescimento de 1,6% em relação à 2012, com Índice de Reposição de Reservas acima de 100% pelo 22º ano consecutivo.

A produção média de derivados refinados no país totalizou 2 milhões 124 mil bpd em 2013, 6% superior à de 2012, reduzindo a necessidade de importação de diesel e gasolina.

O PROEF (aumento da eficiência operacional da Bacia de Campos) contribuiu com uma produção adicional de petróleo de 63 mil bpd. A eficiência operacional chegou a 75% na UO-BC e a 92% na UO-RIO.

O PRODESIN (desinvestimentos) totalizou R$ 8,5 bilhões de contribuição ao caixa no ano de 2013.

O PROCOP (otimização de custos operacionais) alcançou uma economia de R$ 6,6 bilhões em 2013, superando a meta de R$ 3,9 bilhões estabelecida para o ano.

(Redação - Agência IN)

Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/

Mais Notícias