21 de Março de 2014

Crise na Petrobras pode valorizar ações da estatal

As recentes denúncias que envolvem a Presidente do Brasil, Dilma Roussef, enquanto estava à frente do conselho de administração da Petrobras poderiam cair com uma avalanche sobre as ações da empresa. A denúncia de que Dilma votou a favor da compra da Refinaria De Pasadena

 

 

As recentes denúncias que envolvem a Presidente do Brasil, Dilma Roussef, enquanto estava à frente do conselho de administração da Petrobras poderiam cair com uma avalanche sobre as ações da empresa. A denúncia de que Dilma votou a favor da compra da Refinaria De Pasadena, no Texas, pelo valor de US$ 1,18 bilhões e que mais tarde provou-se um péssimo negócio, pode ter um efeito inverso ao esperado pelo mercado.

As ações da estatal que já valeram mais de R$ 50,00, atualmente são negociadas por R$ 14,00. Entre os muitos fatores, como ingerência do governo e uso político da empresa, além do endividamento de R$ 221 bilhões fizeram com que o papel chegasse ao ponto que muitos acreditam ser o fundo do poço. “Fica difícil valer menos do que R$ 13,00. Agora, qualquer motivo faz o papel subir, mesmo que seja uma subida lenta”, explica Luiz Morato, operador sênior da TOV Corretora.

Entretanto, as recentes denúncias e uma possível CPI podem valorizar as ações da empresa. A Petrobras é a empresa de maior orgulho dos brasileiros e chegou a ser uma das mais valiosas do mundo. Qualquer fato negativo ou positivo veiculado sobre ela causa orgulho ou revolta da população. E é exatamente isso que pode estar acontecendo, pois a ação subiu nesta quinta-feira, no mesmo dia das denúncias. “O fato é que a Presidenta Dilma deverá sofrer as consequências políticas das novas revelações e deve cair alguns pontos nas pesquisas e consequentemente devem aumentar as chances de um segundo turno com Eduardo Campos e Aécio Neves, o que anima os mercados”, ressalta Morato. Além disso, os investidores internacionais que ainda são acionistas da empresa estão brigando por mais espaço dentro do conselho e começam a ver crescerem as chances de obterem êxito.

O operador sênior explica a importância deste dois fatos. “Se Aécio ou Campos vencerem as eleições, deverá melhorar a gestão na Petrobras, além do preço da gasolina ser atualizado, algo que está sendo segurado pelo governo para conter a inflação. Além disso, caso os grandes players internacionais consigam ter mais voz dentro da empresa, reduzirá a sensação de que o governo manda e desmanda de acordo com os próprios interesses”, finaliza.

(Redação – Agência IN)

Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/

Mais Notícias