24 de Março de 2014

Emprego cresce 0,88% na construção brasileira em fevereiro

Com a abertura de mais 30,8 mil vagas, o nível de emprego na construção civil brasileira cresceu 0,88% em fevereiro ante o mês anterior, segundo pesquisa elaborada pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) em parceria com a FGV (Fundação Getulio Vargas). No período, o número de trabalhadores do setor passou de 3,491 milhões para 3,521 milhões.

 

 

Com a abertura de mais 30,8 mil vagas, o nível de emprego na construção civil brasileira cresceu 0,88% em fevereiro ante o mês anterior, segundo pesquisa elaborada pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) em parceria com a FGV (Fundação Getulio Vargas). No período, o número de trabalhadores do setor passou de 3,491 milhões para 3,521 milhões.

Já em relação ao número registrado em fevereiro de 2013, quando o setor empregava 3,451 milhões, o levantamento indica acréscimo de 2,04%. “As novas contratações reforçam a previsão de que, ao longo do primeiro semestre, a construção ultrapassará o recorde de 3,571 milhões de empregados formais, alcançado em setembro do ano passado”, afirmou o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe.

No acumulado do bimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, o indicador apresenta alta de 1,85%.

Em fevereiro, comparado a janeiro, no Estado de São Paulo, o saldo entre demissões e contratações nas empresas de construção civil ficou positivo em 6,1 mil trabalhadores, alta de 0,71%. Entre janeiro e fevereiro, o número de trabalhadores do setor no Estado passou de 868 mil para 874,2 mil pessoas com carteira assinada. Das dez regiões pesquisadas apenas a Capital e Sorocaba apresentaram queda no período.

Em relação ao número registrado em fevereiro de 2013, quando o setor empregava 856,7 milhões, o levantamento indica alta de 2,05%. No bimestre, o emprego na construção no Estado apresenta alta de 1,96%, em relação ao mesmo período do ano anterior.

(Redação – Agência IN)

Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/

Mais Notícias