23 de Junho de 2014

Vendas no varejo crescem 3% em maio, revela MasterCard

s vendas do comércio varejista brasileiro cresceram 3,8% em maio de 2014 em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo dados da MasterCard.

As vendas do comércio varejista brasileiro cresceram 3,8% em maio de 2014 em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo dados da MasterCard. O resultado foi impulsionado por três setores principais que tiveram crescimento acima das vendas totais: artigos farmacêuticos, de combustíveis e de construção. A média de expansão dos últimos três meses (março, abril e maio ) foi de 5,3%, ligeiramente abaixo do primeiro trimestre deste ano (janeiro, fevereiro e março) que foi 5,9%.

A massa salarial efetivamente recebida nos últimos 12 meses registrou expansão de 2,4%. No entanto, a pressão inflacionária ainda está se mantendo em níveis elevados, implicando uma deterioração do poder de compra das famílias.
A taxa de desemprego manteve-se praticamente estável (4,9% em abril), devido a efeitos sazonais do período. O comprometimento da renda das famílias com o sistema financeiro nacional está com uma aparente estabilidade (21,4% em março), enquanto a taxa de inadimplência total está se mantendo estável, desde o final do ano passado (4,4% em abril/2014). No geral, o ambiente econômico desafiador que o consumidor brasileiro deve encarar nos próximos meses estará mais atrelado a lidar com a volatilidade no setor varejista.

Para finalizar, a confiança do consumidor mantém a tendência de queda, registrando 3,3% em maio com relação ao mês anterior na série com ajuste sazonal. Entre outros indicadores, isso mostra um consumidor está mais abalado e que, mesmo com a segunda data promocional mais importante no ano (Dia das Mães), ele não conseguiu reagir e as vendas do varejo acabaram ficando encobertas. Como um reflexo disso, os setores de vestuários, móveis e eletrodomésticos, supermercados e artigos de uso pessoal e doméstico foram os que tiveram as menores taxas de crescimento nas vendas totais.

(Redação – Agência IN)

Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/

Mais Notícias