23 de Fevereiro de 2015

Movimento do comércio abre 2015 com 0,8% de alta

O movimento do comércio cresceu 0,8% em janeiro (expurgados os efeitos sazonais) de acordo com dados nacionais do varejo, apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito).

O movimento do comércio cresceu 0,8% em janeiro (expurgados os efeitos sazonais) de acordo com dados nacionais do varejo, apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na análise contra o mesmo mês do ano anterior houve queda de 1,2%. Já na variação acumulada em 12 meses (fevereiro de 2015 até janeiro de 2015 contra os 12 meses antecedentes) houve elevação de 3,4%, desacelerando 0,5 p.p. com relação a dezembro, mantida a base de comparação.

Apesar da elevação marginal, houve forte desaceleração na tendência do indicador, desde meados do segundo semestre de 2014, acompanhando o resultado oficial para o setor varejista – medido pelo IBGE. Para 2015, levando em conta os fatores macroeconômicos, principalmente elevação de juros e tributos, a expectativa da Boa Vista SCPC é de que as vendas varejistas registrem patamar próximo de 1,5%, abaixo, portanto, do aferido em 2014.

O setor de “Móveis e Eletrodomésticos” apresentou alta de 1,4% na variação mensal, descontados efeitos sazonais. Nos dados sem ajuste sazonal, a variação interanual elevou-se em 0,9%, enquanto na variação acumulada em 12 meses houve alta de 4,5%.
A categoria de “Tecidos, Vestuários e Calçados” cresceu 2,7% no mês, expurgados efeitos sazonais. Já na comparação da série sazonal, houve queda de 0,5% em janeiro de 2014. Nos dados acumulados em 12 meses houve alta de 4,7%.

A atividade do setor de “Supermercados, Alimentos e Bebidas” subiu 1,2% em janeiro, na série dessazonalizada. Na série sem ajuste, houve alta de 0,4% na variação contra o mesmo mês do ano anterior. Já na análise acumulada em 12 meses houve interanual houve elevação de 2,2%.

Por fim, o segmento de “Combustíveis e Lubrificantes” caiu 0,2% em janeiro, nos dados dessazonalizados. Na série sem ajuste por sazonalidade, houve queda de 3,4% na variação mensal contra o mesmo mês do ano anterior, enquanto a tendência de longo prazo (acumulados em 12 meses), a série o setor apresentou elevação de 6,3%.

(Redação – Agência IN)

Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/

Mais Notícias